FANDOM



O que devo fazer para evangelizar os jovens? Essa é uma das perguntas que mais ouço líderes jovens fazendo. De fato, não há repostas fáceis para perguntas difíceis.

Nem mesmo há uma receita, como se fosse algo mágico para trabalhar com a juventude. Mas quero fazer uma reflexão que pode nos apontar algumas alternativas para a evangelização dos jovens.

Quero de início, dizer que todo ser humano é vocacionado à felicidade, e sabemos que só Deus é fonte de toda a felicidade. Então podemos dizer que todo ser humano anseia por Deus, mesmo sem saber, sem ter entendimento disso, ele anseia por Deus. Isso é fundamental!

O que o jovem quer é uma verdadeira experiência de encontro com Jesus Cristo. E nesse sentido, a pregação da Palavra de Deus na unção do Espírito Santo é fundamental. O jovem tem sede da Palavra de Deus. Tem desejo dela! E tenha certeza, eu não me engano com relação a isso. Na minha experiência de evangelizador jovem, em cada partilha que fiz com outros jovens, a grande maioria dos que realmente fizeram uma experiência pessoal com Jesus Cristo, testemunha que a Sagrada Escritura foi realmente uma espada em sua alma, a penetrar em seu coração, a tal ponto, de marcar e determinar a mudança radical em sua vida. (cf Hb 4,11-12).

A palavra de Deus é a rocha (cf.Mt 7, 24-27), só aí que o jovem, vai compreender e viver a fé da Igreja e os mistérios de Cristo. Sem pregação não há conversão, pois a fé entra pelos ouvidos! (cf. Rm 10,14-18). Aqui também entra a experiência dos discípulos de Emaús: Eles reconheceram o Cristo no partir do pão, mas isso só foi possível, porque durante o caminho a palavra lhes queimava o coração, e foi a palavra de Cristo em seus corações que fez com que as escamas de seus olhos caíssem e então reconhecessem o Ressuscitado, e assim com destemor e alegria, mesmo na escuridão do caminho, voltarem para anunciar a todos o Cristo Ressuscitado. (cf Lc 24,13-35).

Amados e amadas, a Palavra de Deus é fundamental! O jovem só é forte e vencedor do maligno se tiver pleno da Palavra de Deus (Cf. I Jo 2,14c).

Dessa forma, toda e qualquer atividade de evangelização da juventude, deve ter como centro a pregação da Palavra de DEUS. Infelizmente, nos nossos dias, encontramos líderes jovens com medo e até mesmo com vergonha da pregação da Palavra, e em nome de um tal “discernimento” de um tal “cuidado”, quase que se desculpam perante os outros por terem que pregar o evangelho, por serem católicos. Fazem eventos, shows, promovem uma série de atividades, porém, a Palavra de Deus é deixada de lado. Não quero dizer com isso, que os eventos, shows e outras atividades não sejam importantes, pelo contrário, são uma grande arma para a evangelização da juventude, desde que a Pregação da Palavra de Deus seja o cerne de tudo isso.

Por isso, creio que o grupo de oração é um lugar privilegiado de evangelização da juventude. Por isso, ainda acredito que devemos investir em nosso grupo de oração com todo amor e com todo zelo. Um grupo de oração, que vive a efusão do Espírito Santo, o uso dos carismas, que vive a comunidade e tudo isso centrado na pregação da Palavra de Deus, é sem dúvida, uma “rede” de grande pescaria.

Outro ponto fundamental da evangelização da juventude, é a acolhida. Na verdade, antes de pregar é necessário acolher a quem se evangeliza. Uma pessoa bem acolhida, se torna um coração aberto para a pregação. No projeto Jesus no Litoral, um dos temas mais discutidos na preparação dos jovens missionários é como abordar uma pessoa, isso significa como acolhê-la. Acolher não significa só receber bem alguém, mas também ir ao encontro de alguém com amor e com respeito, na alegria da boa-nova que levamos.

Acolher é o ministério por excelência do pastoreio. Pastorear é sempre acolher. O jovem carece de acolhida, até porque nas muitas experiências do dia de hoje,a rejeição é uma determinante na vida dele. Ora é rejeitado pelos pais, ora pelos amigos, parentes, namorado(a), pela sociedade e tantas outras situações. Acolher é aceitar o jovem da maneira como ele está, e respeitar o tempo de Deus na vida do mesmo, sem obrigá-lo, mas convidá-lo a fazer aquela verdadeira experiência de Jesus Cristo.

Desafio. O jovem gosta de desafios. E não é um desafio extraordinário viver o Evangelho e leva-lo missionariamente a outros jovens? Não é verdade que o jovem não faz nada, ou que não tenha interesse pelas coisas de Deus, isso é uma mentira.

O que devo fazer para evangelizar os jovens? Essa é uma das perguntas que mais ouço líderes jovens fazendo. De fato, não há repostas fáceis para perguntas difíceis.

Disso nos fala o Documento de Aparecida: “São chamados a ser “sentinelas da manhã”, comprometendo-se na renovação do mundo à luz do Plano de Deus. Não temem o sacrifício e nem a entrega da própria vida , mas sim uma vida sem sentido. Por sua generosidade, são chamados a servir os seus irmãos, especialmente os mais necessitados, com todo o seu tempo de vida. Tem capacidade para se opor às falsas ilusões de felicidade e aos paraísos enganosos das drogas, do prazer, do álcool e de todas as formas de violência. Em sua procura pelo sentido da vida, são capazes e sensíveis para descobrir o chamado particular que o Senhor Jesus lhe faz. Como discípulos missionários, as novas gerações são chamadas a transmitir a seus irmãos jovens, sem distinção alguma, a corrente de vida que procede de Cristo e a compartilha-la em comunidade, construindo a Igreja e a sociedade. (Doc. De Aparecida parágrafo 443).”

O que acontece é que nós líderes jovens muitas vezes não temos mostrado aos outros jovens o que eles devem fazer, ou pior, não temos sido uma referência na fé em Jesus Cristo, de modo que os outros jovens sintam-se impelidos a viver o Evangelho. O jovem busca modelos para se espelhar. O modelo que temos que apresentar é Jesus Cristo! E como fazemos isso? Vivendo em Cristo, sob o senhorio de Jesus Cristo, vivendo como Ele viveu, caminhando como Ele caminhou, como diz São João: “aquele que afirma permanecer Nele deve também viver como Ele viveu.” I Jo 2,6

Jovens da RCC, a nossa vida é uma missão em Cristo Jesus. Tudo que fazemos, família, estudo, trabalho, amizades, namoro, casamento, etc é nossa missão em Cristo Jesus. Nós estamos no campo missionário todos os dias e em todos os instantes. Muitos querem ter uma vida missonária longe da sua realidade não porque deseja a vida missionária em si mesma, mas simplesmente para fugir do verdadeiro campo missionário da sua realidade de vida.

Quando vivemos bem a missionariedade na realidade de nossas vidas, abre-se então um outro campo extraordinário de missão, e aí sim ele é autêntico: são as “campanhas” ou “projetos” de missão que a Igreja nos propõe. Dessa maneira podemos fazer experiências missionárias em tempo integral por um determinado momento de nossa vida,por exemplo: um mês; um ano;etc.

Como gostaria que cada jovem na Igreja pudesse fazer uma experiência missionária assim, confesso que anseio por isso.

Mas cada líder jovem, em comunhão com a RCC local e também com a Igreja local na pessoa do Bispo ou do padre, pode organizar uma atividade missionária. O projeto Juventude Católica em Missão, é um projeto de missão que pode se aplicar a qualquer realidade de juventude, seja ela urbana, rural, ribeirinha, etc.

A voz da Igreja, de acordo com o documento de Aparecida nos convoca para isso, sermos Discípulos Missionários de Jesus Cristo. Acredito mesmo que o jovem que vive o discipulado da acolhida e da Palavra, nos sacramentos e na liturgia, reavivado constantemente pela efusão do Espírito Santo, é um missionário em potencial. Eu fico imaginando o anseio de Jesus Nosso Senhor, para que demos a Ele uma resposta urgente de tudo isso.

Ricardinho
Coord. Nacional do Ministério Jovem - RCC BRASIL

Nem mesmo há uma receita, como se fosse algo mágico para trabalhar com a juventude. Mas quero fazer uma reflexão que pode nos apontar algumas alternativas para a evangelização dos jovens.

Quero de início, dizer que todo ser humano é vocacionado à felicidade, e sabemos que só Deus é fonte de toda a felicidade. Então podemos dizer que todo ser humano anseia por Deus, mesmo sem saber, sem ter entendimento disso, ele anseia por Deus. Isso é fundamental!

O que o jovem quer é uma verdadeira experiência de encontro com Jesus Cristo. E nesse sentido, a pregação da Palavra de Deus na unção do Espírito Santo é fundamental. O jovem tem sede da Palavra de Deus. Tem desejo dela! E tenha certeza, eu não me engano com relação a isso. Na minha experiência de evangelizador jovem, em cada partilha que fiz com outros jovens, a grande maioria dos que realmente fizeram uma experiência pessoal com Jesus Cristo, testemunha que a Sagrada Escritura foi realmente uma espada em sua alma, a penetrar em seu coração, a tal ponto, de marcar e determinar a mudança radical em sua vida. (cf Hb 4,11-12).

A palavra de Deus é a rocha (cf.Mt 7, 24-27), só aí que o jovem, vai compreender e viver a fé da Igreja e os mistérios de Cristo. Sem pregação não há conversão, pois a fé entra pelos ouvidos! (cf. Rm 10,14-18). Aqui também entra a experiência dos discípulos de Emaús: Eles reconheceram o Cristo no partir do pão, mas isso só foi possível, porque durante o caminho a palavra lhes queimava o coração, e foi a palavra de Cristo em seus corações que fez com que as escamas de seus olhos caíssem e então reconhecessem o Ressuscitado, e assim com destemor e alegria, mesmo na escuridão do caminho, voltarem para anunciar a todos o Cristo Ressuscitado. (cf Lc 24,13-35).

Amados e amadas, a Palavra de Deus é fundamental! O jovem só é forte e vencedor do maligno se tiver pleno da Palavra de Deus (Cf. I Jo 2,14c).

Dessa forma, toda e qualquer atividade de evangelização da juventude, deve ter como centro a pregação da Palavra de DEUS. Infelizmente, nos nossos dias, encontramos líderes jovens com medo e até mesmo com vergonha da pregação da Palavra, e em nome de um tal “discernimento” de um tal “cuidado”, quase que se desculpam perante os outros por terem que pregar o evangelho, por serem católicos. Fazem eventos, shows, promovem uma série de atividades, porém, a Palavra de Deus é deixada de lado. Não quero dizer com isso, que os eventos, shows e outras atividades não sejam importantes, pelo contrário, são uma grande arma para a evangelização da juventude, desde que a Pregação da Palavra de Deus seja o cerne de tudo isso.

Por isso, creio que o grupo de oração é um lugar privilegiado de evangelização da juventude. Por isso, ainda acredito que devemos investir em nosso grupo de oração com todo amor e com todo zelo. Um grupo de oração, que vive a efusão do Espírito Santo, o uso dos carismas, que vive a comunidade e tudo isso centrado na pregação da Palavra de Deus, é sem dúvida, uma “rede” de grande pescaria.

Outro ponto fundamental da evangelização da juventude, é a acolhida. Na verdade, antes de pregar é necessário acolher a quem se evangeliza. Uma pessoa bem acolhida, se torna um coração aberto para a pregação. No projeto Jesus no Litoral, um dos temas mais discutidos na preparação dos jovens missionários é como abordar uma pessoa, isso significa como acolhê-la. Acolher não significa só receber bem alguém, mas também ir ao encontro de alguém com amor e com respeito, na alegria da boa-nova que levamos.

Acolher é o ministério por excelência do pastoreio. Pastorear é sempre acolher. O jovem carece de acolhida, até porque nas muitas experiências do dia de hoje,a rejeição é uma determinante na vida dele. Ora é rejeitado pelos pais, ora pelos amigos, parentes, namorado(a), pela sociedade e tantas outras situações. Acolher é aceitar o jovem da maneira como ele está, e respeitar o tempo de Deus na vida do mesmo, sem obrigá-lo, mas convidá-lo a fazer aquela verdadeira experiência de Jesus Cristo.

Desafio. O jovem gosta de desafios. E não é um desafio extraordinário viver o Evangelho e leva-lo missionariamente a outros jovens? Não é verdade que o jovem não faz nada, ou que não tenha interesse pelas coisas de Deus, isso é uma mentira.

Disso nos fala o Documento de Aparecida: “São chamados a ser “sentinelas da manhã”, comprometendo-se na renovação do mundo à luz do Plano de Deus. Não temem o sacrifício e nem a entrega da própria vida , mas sim uma vida sem sentido. Por sua generosidade, são chamados a servir os seus irmãos, especialmente os mais necessitados, com todo o seu tempo de vida. Tem capacidade para se opor às falsas ilusões de felicidade e aos paraísos enganosos das drogas, do prazer, do álcool e de todas as formas de violência. Em sua procura pelo sentido da vida, são capazes e sensíveis para descobrir o chamado particular que o Senhor Jesus lhe faz. Como discípulos missionários, as novas gerações são chamadas a transmitir a seus irmãos jovens, sem distinção alguma, a corrente de vida que procede de Cristo e a compartilha-la em comunidade, construindo a Igreja e a sociedade. (Doc. De Aparecida parágrafo 443).”

O que acontece é que nós líderes jovens muitas vezes não temos mostrado aos outros jovens o que eles devem fazer, ou pior, não temos sido uma referência na fé em Jesus Cristo, de modo que os outros jovens sintam-se impelidos a viver o Evangelho. O jovem busca modelos para se espelhar. O modelo que temos que apresentar é Jesus Cristo! E como fazemos isso? Vivendo em Cristo, sob o senhorio de Jesus Cristo, vivendo como Ele viveu, caminhando como Ele caminhou, como diz São João: “aquele que afirma permanecer Nele deve também viver como Ele viveu.” I Jo 2,6

Jovens da RCC, a nossa vida é uma missão em Cristo Jesus. Tudo que fazemos, família, estudo, trabalho, amizades, namoro, casamento, etc é nossa missão em Cristo Jesus. Nós estamos no campo missionário todos os dias e em todos os instantes. Muitos querem ter uma vida missonária longe da sua realidade não porque deseja a vida missionária em si mesma, mas simplesmente para fugir do verdadeiro campo missionário da sua realidade de vida.

Quando vivemos bem a missionariedade na realidade de nossas vidas, abre-se então um outro campo extraordinário de missão, e aí sim ele é autêntico: são as “campanhas” ou “projetos” de missão que a Igreja nos propõe. Dessa maneira podemos fazer experiências missionárias em tempo integral por um determinado momento de nossa vida,por exemplo: um mês; um ano;etc.

Como gostaria que cada jovem na Igreja pudesse fazer uma experiência missionária assim, confesso que anseio por isso.

Mas cada líder jovem, em comunhão com a RCC local e também com a Igreja local na pessoa do Bispo ou do padre, pode organizar uma atividade missionária. O projeto Juventude Católica em Missão, é um projeto de missão que pode se aplicar a qualquer realidade de juventude, seja ela urbana, rural, ribeirinha, etc.

A voz da Igreja, de acordo com o documento de Aparecida nos convoca para isso, sermos Discípulos Missionários de Jesus Cristo. Acredito mesmo que o jovem que vive o discipulado da acolhida e da Palavra, nos sacramentos e na liturgia, reavivado constantemente pela efusão do Espírito Santo, é um missionário em potencial. Eu fico imaginando o anseio de Jesus Nosso Senhor, para que demos a Ele uma resposta urgente de tudo isso.

Ricardinho
Coord. Nacional do Ministério Jovem - RCC BRASIL

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.